O processo da performance

Os engenheiros da Michelin desenvolvem e implementam testes rigorosos para medir os desempenhos que farão de seus pneus agrícolas os aliados de sua produtividade.

Respeito pelos solos

Como se procede?

A pista de areia constitui um meio de comparar pneus, de maneira muito analítica e reprodutível, o que é difícil realizar no campo devido à dificuldade em dominar o estado inicial do solo, sua compactação prévia e sua taxa de umidade. Uma diferença significativa entre dois pneus agrícolas, detectada na areia, se reproduzirá em solo agrícola. Durante o teste, são realizadas várias pegadas de rodagem para garantir uma medição de boa qualidade.

Quais são os resultados?

superficie de contato +24%

O teste permite medir as superfícies de contato com o solo e a profundidade das rodeiras.

Como mostra o exemplo ao lado, o teste demonstrou que o pneu MICHELIN XeoBib  possui uma superfície 24% superior à de um pneu de tecnologia clássica, e uma profundidade de sulco inferior de 55%.

Este teste, completa o teste de formação de rodeiras que analisa a deformação em profundidade do sulco (rodeira).

Como se procede?

Cava-se uma fossa e a seguir se enche com camadas de terra coloridas e alternadas. A máquina, equipada com os pneus agrícolas, passa sobre essa fossa.

Após a passagem, se cava uma vala perpendicularmente às marcas de pneus. A deformação das camadas de terra pode então ser medida e analisada (qualitativa e quantitativamente).

Quais são os resultados?

Conducted by engineers and agronomy experts, these tests explore rut formation, footprint surface and depth, penetration test, wear testing, fuel consumption, etc.

Este teste permitiu observar que a utilização de um pneu MICHELIN, dotado da tecnologia Ultraflex, reduzia de cerca de 20% a compactação em relação à utilização de um pneu concorrente.*

As consequências da formação de rodeiras e da compactação na qualidade do solo, são medidas com o teste de penetrômetro.

*teste comparando MICHELIN IF 520/85R42 CFO e um pneu concorrente 520/85R42.

Como se procede?

O teste de penetrômetro é efetuado no campo agrícola. A máquina, equipada com os pneus agrícolas, efetua uma rodagem na zona testemunha.

Após a passagem da máquina, se realizam medições em vários pontos, espaçadas regularmente ao longo do rastro deixado pelo pneu. A medição da compactação do solo é efetuada com um penetrômetro.

Quais são os resultados?

Graph1_BR_V02_optimise

Essas medidas permitem avaliar a compactação da terra após a passagem da máquina, equipada com os pneus testados.

No exemplo ao lado, após a passagem de uma máquina agrícola, equipada com pneus MICHELIN CerexBib , a qualidade do solo se mantém na área julgada boa para o desenvolvimento das raízes (ver gráfico – fonte Wright Resolutions). Em contrapartida, depois da passagem da mesma máquina, equipada com os pneus concorrentes, o limite de bom crescimento das culturas é ultrapassado.

Economia de combustível

Como se procede?

O teste realizado em situação real de preparação dos solos necessita a exploração máxima da potência do trator. Numa parcela de terra homogênea, o trator rebocando um implemento com dentes, percorre uma dada distância. O exercício é repetido com todos os conjuntos de pneus a comparar.O esforço de tração sendo idêntico a cada passagem, a patinagem, e portanto o consumo de combustível, permitirá distinguir várias soluções pneumáticas (para afinar ainda mais o teste, um sensor de esforço instalado entre o trator e a ferramenta rebocada, mede em permanência o esforço de tração).

Quais são os resultados?

Conducted by engineers and agronomy experts, these tests explore rut formation, footprint surface and depth, penetration test, wear testing, fuel consumption, etc.

Os pneus dotados da  tecnologia MICHELIN Ultraflex podem funcionar com menor pressão (dentro da tabela de nossas recomendações).Esta grande capacidade de flexão, permite um maior contato com o solo, proporcionando melhor tração.Resultado: redução significativa da taxa de patinagem e do consumo de combustível.

Vida útil

Como se procede?

Conducted by engineers and agronomy experts, these tests explore rut formation, footprint surface and depth, penetration test, wear testing, fuel consumption, etc.

O teste de desgaste acelerado se baseia em condições reais de rodagem, e se efetua sem condutor, 24 horas por dia. O protocolo de implementação integra variações de velocidade e a simulação de vários usos.

Quais são os resultados?

Uma análise precisa do estado da escultura do pneu é efetuada após a rodagem.Este teste permite comparar precisamente pneus de natureza, de gama ou de composição diferentes, analisando o estado da escultura e o desgaste em cada um dos pontos da banda.Esses resultados são em seguida consolidados pela colocação de pneus em explorações agrícolas.